Hey, capricha esse nó aí!

Por Andrey Romaniuk

      Existe algo que frequentemente reparo nas bases das paredes: a maneira de como o nó de encordamento é confeccionado pelos escaladores. Dentre os vários nós para encordamento, o mais conhecido e utilizado é o oito guiado ou oito duplo. Existem várias maneiras diferentes de confeccioná-lo, cada pessoa possui a sua predileta, e o resultado final deveria sempre ser o mesmo, mas infelizmente não é isso que ocorre.

      O que tenho observado é uma demasiada falta de capricho, ou até conhecimento, na maneira de fazer este nó corretamente. É claro que uma das grandes vantagens do nó oito guiado é que ele não se solta mesmo quando confeccionado erroneamente, ou melhor, sobreposto. Este é um dentre os vários outros motivos a este nó ser o mais utilizado para encordamento na escalada. Mesmo cumprindo sua função de segurar a queda, um nó feito sem “capricho” ou sobreposto só traz desvantagens.

      Mas o que seria um nó feito “sem capricho” ou sobreposto? Acredito que através das fotos será mais fácil de entender, mas o essencial é que em todas as voltas do nó, ambas as cordas devem correr paralelas e simétricas. O nó deve ser algo compacto, e não uma “bola”.

Oito duplo ou guiado, confeccionado CORRETAMENTEOito Correto

Oito correto

Oito duplo ou guiado, confeccionado ERRADO, ou sobrepostoOito errado!

Oito errado!

      Muita gente reclama do nó oito ser difícil de desfazer após sofrerem quedas. Provavelmente as pessoas que falam isso confeccionam um nó sobreposto, pois o nó oito é simples de desfazer após receber tração, sem maiores problemas, quando é feito corretamente e simétrico. Especialmente se a ponta da corda que exerce tração no nó está na “parte de cima” das voltas, apertando o nó por inteiro (1).

      Sabemos que todos os nós tiram resistência da corda, e este é outro motivo pelo qual o oito duplo é muito utilizado, já que sua taxa de redução na resistência da corda é baixa. Por exemplo, um nó cego tira mais de 50% de resistência de uma corda, enquanto o oito duplo tira aproximadamente de 20 a 30%. Esta porcentagem varia conforme a confecção do nó. O oito duplo feito sobreposto ou imperfeito irá retirar mais resistência do que o mesmo nó feito corretamente, caprichado e simétrico.

      Outro detalhe é a ponta da corda que “sobra” do oito duplo (2). É essencial que esta “sobra” tenha no mínimo 12cm de comprimento, ou um palmo, para margem de segurança. Não é preciso fazer um “nó de arremate” nesta ponta, mas caso a ponta fique muito extensa é interessante fazê-lo para manter tudo mais compacto e sem enroscos. Com a prática todos conseguem fazer um oito guiado na medida e tamanho ideais, com a sobra de corda correta.

      A parte da corda que mais sofre desgaste normalmente é sua ponta, onde são feitos os nós. De nada adianta zelar pela corda com lonas no chão protegendo da sujeira se você também não faz um nó corretamente. Desta maneira a corda está sofrendo danos tão ruins quanto a sujeira, já que em um nó sobreposto as fibras estão sofrendo uma quebra maior e assim diminuindo consideravelmente a vida útil da sua corda.

Capriche no seu nó! Além de cuidar da sua vida, você zela pela corda.

Anúncios

One Response to Hey, capricha esse nó aí!

  1. Mauricio disse:

    Parabéns pelo tema abordado, Andrey!
    Escalo a tempos e só recentemente aprendi a importância e correta confecção deste nó!
    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: