Into the Wild – Na Natureza Selvagem

Por Bruno A. Severian

      Baseado no livro de Jon Krakauer, “Na Natureza Selvagem” conta a história de Chistopher Johnson McCandless, que em 1990 se formou na faculdade e em algum universo paralelo seguiu uma brilhante carreira e viveu o sonho americano. 

      Felizmente na nossa realidade ele doou suas economias (US$ 24.000,00), queimou todo o dinheiro em sua carteira e destruiu todos os seus documentos, inclusive sua identidade. Renasceu Alex Supertramp e começou uma peregrinação de dois anos pela América, indo até o golfo do México de caiaque e andando e caronando até o Alaska, onde viveu da terra por 4 meses, até ser encontrado morto por caçadores dentro do ônibus 142 de Fairbanks.

      Ao contrário das críticas que apontam McCandless como estúpido e irresponsável, ele estava determinado a embarcar numa jornada de auto conhecimento, um rito de passagem que só seria possível se ultrapassasse seus próprios limites, limites que tomaram o Alaska – “A Última Fronteira” – como cenário.

      O fato é que McCandless realmente nascera no século errado, como dizem amigos entrevistados no livro de Krakauer. Nasceu num século onde sinônimo de sucesso é dinheiro, onde pessoas deixam de viver, correndo atrás de “carreiras”, onde não existe um punhado de terra firme não mapeado. Teve que dar seu próprio jeito: livrou-se dos mapas, e procurou lugares e momentos que fizessem seu coração bater mais forte.

      Não consigo evitar de pensar num desfecho diferente pra essa história: em algum universo paralelo McCandless saiu vivo dessa – conseguiu vadear o Teklanika, deixou o Alaska e reuniu-se à civilização, renascido e pronto para levar uma vida longa ao lado da família, de uma eventual esposa e de prováveis filhos. Acredito que escreveria um livro sobre sua Grande Aventura, no melhor estilo Jack London e pudesse nos passar a mensagem, ou “fórmula” de uma vida plena. Provavelmente não seria um best-seller. Nem viraria filme. Talvez não fosse um desfecho muito satisfatório. Talvez McCandless sucumbisse a esse mundo corrompido e sua voz nunca seria ouvida. Onde as pessoas precisam de um grande chacoalhão pra iniciar qualquer mudança, foi extremo: ofereceu sua própria vida e deixou que outros contassem sua história. Felizmente.

Trailer

Anúncios

2 Responses to Into the Wild – Na Natureza Selvagem

  1. JURANDIR disse:

    MUITO BOM ESSE FILME,É ALGO PRA REFLETIRMOS NA VIDA DIÁRIA OU QUANDO ESTAMOS POR AI AO SABOR DO VENTO…ABRÇS

  2. Esse filme me emocionou profundamente…
    Momento de reflexão e busca de liberdade e felicidade.
    E como o próprio Alex chega à conclusão…”a felicidade só tem valor se compartilhada”…eu compartilho com vocês a felicidade e emoção de ler esse blog e encontrar conteúdo de primeira qualidade e de verdadeiros amigos da montanha e da Mãe Terra.
    Abraços !
    Miriam Chaudon.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: